Loading...

O que você deve fazer para melhorar sua Escrita Criativa...


Rio de janeiro, 09 de Junho de 2020

O que você deve fazer para melhorar sua Escrita Criativa...


 Depois de horas árduas — escrevendo muito — , estudando e treinando a escrita; resolvi repassar o que aprendi.
São apenas dicas simples, não envolve gramática e nem nada assim — não é uma aula de português — ; e, quero deixar claro de antemão, que aqui você não vai encontrar nenhuma fórmula pronta.

Explicando os métodos.
Minha Análise completa baseou-se inicialmente em, verificar por completo a vida de meus escritores favoritos; que considero possuírem uma excelente escrita. Após esse procedimento, verifiquei os confins do YouTube para ver toda e, qualquer entrevista do autor. Seguindo adiante, comprei e li alguns livros essenciais para quem deseja ser escritor. Os livros são “Para Ler Como Um Escritor” de Francine Prose, e “Sobre a Escrita” do mestre Stephen King. Além de manter minhas leituras sempre em dia, sendo dos mais diversos gêneros da fantasia ao terror.
Então, prepara seu café e…Vamos lá!

Leia muito e escreva muito
Pode parecer besteira, mas já conheci e vi uma quantidade absurda de pessoas que gostariam de publicar um livro, porém nem sequer tem o hábito da leitura. Então, primeiramente, por favor, leia. Em minhas pesquisas, dos mais diversos autores, todos (sério mesmo) dizem a mesma coisa “leia muito e escreva muito.” Stephen King inclusive, em uma de suas entrevistas diz “leia tanto, até chegar ao ponto de ler algum livro e dizer: isso está uma merda! Eu posso fazer melhor”, mas claro, não é tão simples assim. Seguindo, escreva muito. Como acontece com a leitura, devesse ter o hábito da escrita. Na medida do possível, escreva todos os dias; nem que seja apenas um parágrafo ou algumas palavras. Então… leia muito e escreva muito.

Narrativa curta (conto)
Vejo muitas pessoas que colocam a carroça na frente dos bois, isto é, começam a escrever uma narrativa longa logo de início; sem nem sequer ter experiência alguma. Escrever um romance (narrativa longa) exige um trabalho árduo, o que inicialmente não compensa. Pense comigo, quanto mais você escreve, mais você melhora e evolui; o seu “eu” dos primeiros capítulos, não é o seu “eu” do meio ou do final do livro — o que tornará o seu trabalho irregular, e que muitas vezes o faz desistir no meio do caminho. Então a dica é, escrever contos. Comece com narrativas curtas, pois por tratar-se de uma história pequena, é mais fácil de ser terminada e analisada. Veja só, em um curto período de tempo você consegue ter uma noção do quanto você evoluiu. E também pontos fortes e fracos do seu texto, isso significa ganho em dobro. Escreva contos.
Para garantir veracidade de minhas palavras, citarei alguns escritores que se beneficiaram desta dica. William Gibson, autor do livro “Neuromancer” e da aclamada Trilogia do Sprawl, antes de publicar sua primeira obra; escreveu alguns contos ambientados no seu universo Cyberpunk. Stephen King, mestre do terror, começou escrevendo contos para um jornal local, gerenciado por ele e pelo seu irmão; escreveu em torno de 200 contos — sua primeira história vendida para uma revista, um conto, o autor recebeu aproximadamente 25 ou 30 dólares pela obra. H.P. Lovecraft e Edgar Allan Poe, ambos construíram suas carreiras literárias somente com contos. Em terras brasileiras cito, Bernardo Stamato, autor do livro A Era do Abismo, começou sua carreira depois de ganhar um concurso de contos e continuou postando em blogs. Após isso, sentiu-se pronto, escreveu e publicou seu livro.

Semeador ou arquiteto
Certo, já li muito e escrevi muitos contos, tenho a ideia e estou pronto para começar meu romance. Espere um momento, amigo. Antes disso, precisamos analisar outros fatores. Primeiro vamos descobrir que tipo de escritor você é, semeador ou arquiteto.

Semeador: Um escritor semeador é aquele que primeiro planta, semeia e por fim colhe a sua história. Esse tipo de autor costuma não planejar nada ou muito pouco. Apenas deixa fluir.
Arquiteto: O escritor arquiteto é aquele que arquiteta tudo antes de começar, ou seja, planeja toda a história antes de botar a mão na massa. Geralmente, planejam todos os capítulos, alguns até vão além — planejando parágrafo por parágrafo.
Aí é com você, descubra a qual desses estilos você se identifica. Eu, particularmente, recomendo que você faça pelo menos um planejamento básico.

Planejamento
Tanto você semeador quanto você arquiteto, atentem a estás dicas.

Para você Arquiteto: Eduardo Spohr, Best-seller nacional — autor da Batalha do Apocalipse — , da dicas excepcionais para escritores arquitetos. Comece separando seu material, seja em pastas físicas ou virtuais. Tenha um roteiro de seus capítulos, do primeiro ao último, assim você não se perde e evita bloqueios criativos. Outras dicas, são monte seu elenco, isto é, personagens: protagonistas, vilões, coadjuvantes, etc. Escreva todos os locais por onde pretende que sua história se passe.
Para você Semeador: Planeje o básico. Personagens que você terá em sua narrativa, e o que mais você achar necessário. A questão é não se prender muito ao planejamento, deixe fluir, se tiver que improvisar — improvise.


Escritor "profissional" ou casual
Entenda minha intenção não é crucificar ninguém, mas falarei uma verdade dura e dolorida. Se você realmente deseja ser um escritor, escreva sempre que puder, não sinta-se intimidado com um dia ruim. Muitas pessoas almejam viver de literatura, porém, escrevem apenas quando se sentem “inspiradas”; o que é péssimo. É como falta de persistência ou até uma desculpa para não escrever, pense quantas vezes no mês você fica “inspirado.” Escreva todos os dias ou sempre que puder, independente de ser um dia ótimo para sua escrita, ou horrível. Lembre-se sempre do seu objetivo, seja “profissional” e não casual.

Narrativa longa (romance)
Escrever um livro leva tempo, é trabalhoso e complicado. Então tenha em mente isso antes de escrever, já lhe dei dicas de como planejar inicialmente. Porém, esteja certo do que quer escrever, pois muitos escritores param no meio do caminho. Acabam se envolvendo com outra ideia, e acabam desistindo da sua escrita atual para mudar a história (o que já aconteceu comigo). A dica é não envolva-se muito com outras ideias, anote e deixe-as guardadas para o futuro. Esteja com a cabeça 100% na sua história atual, e não demore muito a terminar.
Stephen King cita em seu livro que uma história é como um fóssil, vamos escavando mais e mais, para tirar o máximo de partes possível; e por fim a montamos, deixando-a pronta para polir. O autor também fala no tempo máximo para você terminar a escrita, ele diz que se sua versão inicial não estiver pronta em 3 meses pode desistir e começar outra. Mas, sinceramente, não leve ao pé da letra. Tenha em mente o período de 1 ano; isto é, considere terminar a versão inicial do seu original em 6 ou 8 meses, use o resto para revisões e correções (se conseguir terminar em menos tempo — perfeito!). Se por acaso você é alguém muito ocupado, e acha que não vai conseguir, faça você mesmo o seu tempo. Porém, considere não demorar muito a terminar; pois quanto mais o tempo passa, mais você se desgasta.

Fórmulas de bolo
Logo que começamos a entrar no mundo da escrita criativa, costumamos nos deparar com algumas fórmulas de bolos. Estruturas prontas de como arquitetar seu livro como: jornada do herói, estrutura de 3 atos, entre outros. Partimos do pressuposto de Francine Prose, em seu livro de “Para Ler Como Escritor”. A autora diz que inicialmente em suas oficinas literárias, ela planejava como se fossem “aulas”, ensinava artifícios da escrita e algumas estruturas conhecidas. Após algum tempo, a mesma percebeu como isto não é correto. Não se prenda a essas estruturas prontas, tudo bem usar a jornada do herói em sua história — a estrutura é comprovada ser eficiente; porém tenha em mente que, essa fórmula não irá salvar seu livro se ele for ruim. Procure usar esses sistemas como uma base, molde-o da sua forma, do seu jeito. Você está no comando, faça suas regras. Mas lembre-se… não tente inventar moda.

Rotina de escrita
O mais saudável para um escritor é ter uma um rotina de escrita, como foi dito anteriormente, escreva sempre que puder. Se você consegue escrever todos os dias, primeiramente — parabéns! Em seguida, tente manter uma rotina. Como eu posso fazer isso?! Você me pergunta. É simples, eu digo. O recomendado é fazer alguns testes no início, escreva em diferentes horários; teste todos: manhã, tarde, noite e madrugada. Perceba que, em alguns desses horários sua produção textual vai ser mais efetiva, digo, mais produtiva. Então teste por alguns dias, cada um dos horários e veja qual é o seu melhor horário. Procure seguir com essa rotina constantemente, claro, as vezes estamos meio distraídos... com a cabeça na lua. Então um dia ou outro que você não siga a risca, não terá problema. E coloque uma meta diária, minha meta, por exemplo: escrevo entre 1300 e 1600 palavras por dia. Eu recomendo começar com 1000 palavras, mas se você acha que será difícil, comece com menos umas 500 ou 800; talvez.

Se você leu até aqui, os meus mais sinceros agradecimentos! Espero um dia dividir com você o posto de escritor, até lá, continuemos treinando e evoluindo!
Instagram = @entre.dimensoes 
E-mail: fabriciobenits@gmail.com

Sobre mim:
Cidadão comum fã de heróis em geral, livros, algumas séries e filmes. Além de aventurar-se entre as dimensões da escrita criativa.

 

Produtos em promoção. Clique e confira!

Existem milhões de livros super em conta que você pode ler e se inspirar, aqui neste link tem um monte em promoção!