Loading...

Entrevista do mês com Kemerson Dias no PAPO DE ESCRITOR


Rio de janeiro, 28 de Outubro de 2021

Entrevista do mês com Kemerson Dias no PAPO DE ESCRITOR

1- Como é ser escritor nos dias atuais?
R: Eu acredito que hoje temos mais acessos a um vasto campo de literaturas e autores, o que contribui para o enriquecimento de nosso repertório vindo pela leitura. A internet proporciona também que nosso trabalho chegue a mais lugares e de forma mais rápida

2- Quando você percebeu que queria ser escritor?
R: Embora escreva desde a infância, foi apenas em 2019 que me senti à vontade com esta palavra: escritor. Sempre fui tímido e tinha receio de publicar meus textos. Nestes dois anos venho me descobrindo escritor, aprendendo continuamente e buscando aprimorar minha escrita.

3- Como é a sua rotina para escrever?
R: Gosto bastante das madrugadas. Quando o silêncio da noite chega, me faz companhia para escrever e esquecer do tempo.

4- Qual o conselho você daria para quem quer ser escritor?
R: Se permitam viajar com suas palavras. Não tenham receio ou vergonha do que escrevem. E escrevam, escrevam muito. A prática leva ao caminho.

5- Qual a sua maior inspiração para escrever?
R: Ter um olhar sensível e contemplativo da vida. Tudo em nossa volta e olhos têm cor, tom, som e cheiro de poesia.

6- Livro digital ou físico?
R: Embora consuma ambos modelos, ainda sou muito adepto ao livro físico. O ritual de ir a uma livraria, pesquisar e descobrir novas literaturas; receber o livro em casa; aquele cheirinho de livro novo; tudo isso é mágico

7- LIVRO combina com...?
R: um bom café!!!!

8- Como você escolhe o tema para os seus livros?
R: Eu trabalho muito com poemas. Gosto de abordar sentimentos, como amor, amizade, saudades, gratidão e tudo aquilo que nos gera bons sentimentos e sensações.

9- O que é preciso para escrever bem?
R: Ler bastante e ler de tudo.

10- Como escritor, quando olha para trás, qual a sua maior satisfação?
R: Chegar no coração das pessoas. Receber feedback do quanto aquelas palavras tocaram a alma do leitor. Isso não tem preço!

11- O melhor lugar para escrever?
R: Eu gosto de sentar no chão frio na sala do meu apartamento, abrir a persiana e deixa o céu invadir a janela, contemplando sol, lua, estrelas, ou até mesmo céu cinzento da cidade de São Paulo.

@cafeprosabr
@kermersondias

  • 12- Você se inspira em algum autor(a)?
    R: Admiro muitos nomes, desde os autores celebres da história de nosso país a outros contemporâneos, alguns inclusive se tornaram amigos pessoais. Mas é impossível não ter Machado de Assis como um nome que inspira e provoca.

    13- Como administra o seu tempo para realizar todas as tarefas para poder escrever?
    R: Hoje divido meu tempo entre minha profissão - Gerente de RH numa empresa de Varejo – e a escrita. É bem difícil e cansativo, pois tenho uma rotina puxada, muito impulsionada pelo mundo corporativo. Mas busco reservar pelo menos 2h do meu dia para leitura e/ou escrever.

    14- O que te motiva para realizar tantos projetos?
    R: Gerar bons sentimentos nas pessoas

    15- Para escrever bem é necessário...(complete a frase)
    R: escrever muito, sem parar.

    16- Como foi o processo da descoberta da poesia em sua vida?
    R: Desde a infância gostei bastante de artes em geral. Lembro dos primeiros livros “devorados”, da série Vaga Lume. Na adolescência comecei a conhecer os clássicos da poesia, com Manoel de Barros, Clarice, Fernando Pessoa e me encantei.

    17- Como você divulga os seus livros?
    R: Através das redes sociais, em especial no Instagram. Aproveito parcerias com outros escritores, na divulgação, mutua, dos nossos trabalhos.

    18- Me fale um pouco sobre o seu último projeto, " CAIU POESIA NO MEU CAFÉ?

    R: Fiz a divulgação do título e capa em agosto, aproveitando o mês do meu aniversário. Agora, no final de setembro, os livros vendidos na pré-venda serão enviados aos leitores. O lançamento oficial acontece no final deste mês. Este livro é uma coletânea de poemas já compartilhados em redes sociais e outros inéditos. Trago textos que retratam as coisas boas do cotidiano: as pequenas surpresas, o amor, a amizade, gratidão e reciprocidade. São versos que inspiram, com delicadeza, sutileza e harmonia.

    19- Escrever é... (complete a frase)
    s R: Escrever é libertar-se!