Loading...

Ainda sobre a construção de personagens


Rio de janeiro, 20 de Maio de 2020

Ainda sobre a construção de personagens.

      É sublime a sensação de criar uma história e levá-la do seu imaginário para o papel e depois para o imaginário de outras pessoas. Escrever é maravilhoso! Ainda melhor quando recebemos boas críticas sobre o nosso trabalho. A satisfação de um escritor é levar um texto de qualidade para o leitor, com um enredo incrível, e receber boas críticas sobre ele.
Mas, quando escrevemos um romance, intrigar o leitor do começo ao fim, exige um pouco mais do que uma boa narrativa.
      Ao começar a escrever um texto narrativo, muitas vezes já temos em mente uma ideia geral de como serão os principais personagens que estarão na história. Porém, mais do que possuir características que agradem ao leitor, os personagens precisam se ligar de forma coerente e natural. 
      Durante o processo de escrita, frequentemente nos sentimos inseguros e nos perguntamos se eles serão realmente capazes de conquistar os devoradores de livros logo nas primeiras páginas. Essa preocupação é muito compreensível, e os leitores estão cada vez mais exigentes, pois, se o mundo mudou, eles também mudaram. Trocam opiniões, debatem, comparam autores.
      As pessoas desejam se ver nas páginas dos livros, não como a sociedade acha que deveriam ser, mas como realmente são, com suas características que as diferem umas das outras, tornando cada uma especial.

       Com certeza você já teve a impressão de que os personagens principais são sempre belos nas histórias de romance, de acordo aos padrões da sociedade. Em um primeiro momento, temos a ideia que os leitores desejam é alguém a quem possa admirar, ou com quem possa sonhar e que irão estar nas suas fantasias e sonhos. Porém, as características físicas, embora seja de suma importância, não são os elementos que irão mantê-los interessados na sua história. Apesar disso, a forma como ele se vê, implica em quem ele é como indivíduo e em como se relaciona com outras pessoas. Percebe como isso faz toda a diferença no seu enredo?

      Sejam quais forem as características de seu personagem, o importante é parecer real! Que o leitor se identifique de alguma forma.

      Sem mais enrolação, eis que chegou a hora de compor um personagem do seu livro. Digamos que será um protagonista do sexo masculino. A primeira coisa que precisamos nos perguntar é: 
Que tipo de pessoa ele é?

Personalidade:
Ele é carismático, comunicativo e ouve as pessoas com atenção e interesse, preocupando-se com o bem estar alheio sempre? Focado em perseguir seus objetivos predefinidos?
Ou distraído, sem objetivos claros, em conflito constante com as próprias emoções?
Ele tem algum transtorno de personalidade, borderline, narcisista, paranóide, dependente, antissocial ou algo mais?

Muitos autores leem livros de psicologia para buscar uma compreensão mais ampla da mente humana e assim, compor personagens mais ricos e instigantes. Independente do conhecimento que você já possua sobre o que vai escrever, estude mais, pesquise mais, se necessário, entreviste pessoas. Quanto mais conhecimento você demonstrar sobre o que você está falando, mais o leitor irá gostar da sua narrativa. Características detalhadas da sua personalidade, manias, trejeitos, até mesmo defeitos, funcionarão como uma espécie de elo entre o leitor e o personagem, fazendo com que ele se afeiçoe, pois se identificou com algo.

Características físicas:
      Defina a cor e tipo dos olhos, dos cabelos, da pele, além de peso, altura, idade,
Possui alguma característica especial? Cicatriz, tatuagem, deficiência física, calvície, doença de pele?
É um homem bonito de acordo aos padrões da sociedade? Como ele lida com isso? É arrogante, cheio de si? 
Isso interfere de alguma maneira em quem ele é?

  • A escolha do nome:
           Uma das coisas mais difíceis na hora de compor um personagem, é escolher um nome adequado.
    Um homem brasileiro nascido no Rio de janeiro, não poderia se chamar Sr° Smith, a menos que ele seja filho de estrangeiros, ou tenha fugido para os estados unidos e trocado de identidade. Essa seria uma boa história de espião!
    Então, se você está escrevendo um romance New Adult, erótico, de época, histórico ou qualquer outro gênero que não seja policial e, essa história se passa no Brasil, um nome estrangeiro não faria o menor sentido!
    E uma dona de casa no Ceará que se chama Sra Nicholson? Não dá, não é mesmo?
    O nome deve ter a ver com a personalidade, nacionalidade, região, posição social e jeito de ser daquela pessoa que você criou. Deve se parecer com seu personagem. Portanto, faça listas, pesquise nomes comuns na região onde ele vive, estude a origem dos nomes e seu significado e, finalmente, escolha o que melhor o representar. 

    Regionalidade:
             Uma coisa muito importante que você precisa saber sobre o seu personagem é de onde ele vem. Cada pessoa carrega características pessoais únicas, pertencentes ao lugar de onde vem. Mesmo dentro de um país como o Brasil, onde todos falam o mesmo idioma, a variação linguística se faz presente de forma incrível. Expressões utilizadas no Nordeste, por exemplo, causarão estranheza e confusão a quem vive no Sul e vice versa. Bem como os sotaques diferenciados, os vícios de linguagem, as superstições, a cultura, as tradições e tudo o mais que diferencia um povo de outro.
    As diferenças são muitas e, são esses detalhes que tornarão o seu personagem real.

    Por fim, leia bastante!
    A leitura nos ajuda a exercitar a comunicação e a imaginação. Traz conhecimento, amplia nossos horizontes e abre nossas mentes para o processo criativo. 

    Você pode usar uma ficha de personagem, como modelo abaixo, mas tem outros modelos disponíveis na internet. É de grande importância utilizar a ficha técnica nesse processo de construção. 

    FICHA DE PERSONAGEM:

    Nome:
    Necessidade dramática (O que ele quer?):
    Descrição resumida do personagem: 
    Como ele será modificado ao longo da história? (Arco do Personagem) 
    Características Físicas
    Idade: 
    Tipo Corporal (Altura/Peso): 
    Face: 
    Pele: 
    Cabelo: 
    Olhos: 
    Outras/Especiais: 
    Características Básicas:
    Onde vive: 
    Nível Intelectual: 
    Descreva sua família e a relação do personagem com ela: 
    Descreva sua profissão, local de trabalho, e sua relação com as pessoas neste ambiente: 

    Você faz uso da ficha técnica para compor seus personagens? O que acha desse recurso?

    Cristina Alves 
    cristinalves2604@gmail.com
    www.meninadoscontoseroticos.com.br/


Produtos em promoção. Clique e confira!

Existem milhões de livros super em conta que você pode ler, se inspirar, viajar... Aqui neste link tem um monte em promoção!